@ Dis-cursos





Translate

30 agosto 2009

Traços de Viagem

Traços de Viagem:
Labirintos
De sorrisos brilhantes
e com os
cabelos cheios do pó
ocre , siena, que se impregna por toda a
cidade
me despeço,
e com o vento e o mar
pela proa
novas odisséias
para meus pés
cansados.
..................................

29 agosto 2009

Minutas @3

Certamente existem arquivos de música

ritmos que nos cercam entre as paisagens


Uma ópera onde os sinais emergem,

os timbres dos tempos idos nestas

lidas

Cada dia com suas oferendas.
"Pentagramas"
cada dia com suas preces
Música de camera.
NO ciclo eterno das
mutáveis coisas
Eu me abasteço.
~~
~~~~~~~~~~
~
fotos e texto: JU gioli

26 agosto 2009

24 agosto 2009

Paletas de cores

Paletas de cores de verão:
Hibiscos
Amores perfeitos
Coralinas
Narcisos
Azáleas
Sálvias
Glícinias
brancas
amarelas
violetas
púrpuras
femininas

21 agosto 2009

Poesis

"Al di sopra della veritá stanno gli déi.
La nostra scienza é una fallita copia
della certezza con cui essi
sanno che c'è l'Universo"
~~~~
Acima da verdade estão os deuses.
A nossa ciência é uma falhada cópia
Da certeza com que eles
Sabem que há o Universo.
poema: Fernando Pessoa
foto: JU Gioli

20 agosto 2009

@ minutas 3



Como um livro, vou folheando,
imensas páginas.
E, em suas
pausas e silêncios,
deixo que as frases
se articulem,
nos
vínculos sinuosos desta cerimônia,
caminho
~~~~~~~~~~~~
fotos e texto: jugioli

15 agosto 2009

@ Dis-cursos

@ dis-cursos
variados, extensos,
A memória se revive
em palavras
sorvendo
o dourado
dos sóis.
Eu me abasteço.
texto e foto: JU Gioli

13 agosto 2009

@- Minuta

@ Dis-cursos
Minuta: a primeira redação de qualquer escrito oficial,
que poderá sofrer ainda emendas, alterações, inclusões.
foto e texto: JU Gioli

10 agosto 2009

Odisséias

Esplendor do sol na imensidão lacustre.
Avanço pelas estradas
no solo etrusco
no ponto mais estreito do rio Arno
A ponte Vecchio em Florença.

05 agosto 2009

Vias possíveis



Monolíticas – inscrições
Blocos de mármores
Entalhes milemétricos
Cartografias de entranhas
Que se revelam de evidências
Nas suas linhas de fraturas,
Exumadas das posses
Do martelo e cinzel.
- a perfeição tudo ordena
Numa pequena parcela
De matéria,
Fresca, nua, solitária,
Sólida, transformada.
Daquele que faz da areia
Ouro,
Imóvel – sacro, religioso.
Onde eu via o nascer e desabrochar,
Em meio ao nacarado fruta-cor; brilhos e
Brilhos, de pedras rosas, cinzas, brancas, e
Fascinada assistia ao macio das horas.
Saboreio suas arenas de sedas sobre
Meus olhos, e séculos
arrastando-me.
fotos e texto: JU Gioli

@@@@@@ Blogs

Anotações diárias